Como aproveitar a pós-graduação para iniciar uma pesquisa científica

Uma dúvida recorrente entre aqueles que terminam uma graduação é sobre qual será o próximo passo para ter uma carreira e uma vida acadêmica de sucesso. Embora não exista um único caminho, alguns pontos podem ser considerados para que você encontre essa resposta com maior facilidade. Veremos alguns deles ao longo deste texto.

Não faltam opções de cursos de especialização e outras modalidades de pós-graduação. Aqueles que desejam continuar os seus estudos visando investir em uma carreira acadêmica não têm apenas em mestrados e doutorados as suas opções de formação. As opções de pós-graduação lato sensu, que possuem menor duração, apresentam-se como ótimas opções para melhorar o seu currículo a curto prazo e, ainda, oferecem uma chance importante de você iniciar uma pesquisa científica. Veja como.

 

Pesquisa científica: como aproveitar uma especialização para iniciar essa jornada?

 

Se você está pensando em fazer uma pós-graduação mais curta, uma formação que estará mais direcionada para você exercer a sua carreira e, junto com isso, dar os primeiros passos no campo da pesquisa científica, confira algumas dicas para conseguir aliar esses dois objetivos:

 

1 – Encontre um tema pelo qual você realmente se interesse

Assim como em outros aspectos da vida, encontrar algo pelo qual você realmente se interesse pode ser o primeiro passo para garantir um futuro de sucesso. Portanto, tenha em mente o que você deseja fazer e a área sobre a qual você deseja se especializar e estudar com maior profundidade.

Nessa ponderação, leve em conta as disciplinas com as quais você desenvolveu maior interesse durante o período da graduação. Esse pode ser um bom começo. Por exemplo: alguém que fez o curso de  Direito pode interessar-se por uma especialização em Direito Tributário. Da mesma maneira, um graduado em Administração pode se interessar por um MBA Executivo focado em liderança.

Outra dica é que, além de pensar na sua carreira profissional, você já planeje a sua carreira acadêmica. Se você pretende se aprofundar em uma pesquisa científica no futuro, será importante ter em mente os próximos passos que o seu objeto de estudo poderá seguir. Qual será a evolução do seu projeto para que ele se transforme em um motivo para uma pesquisa científica ainda mais aprofundada?

Assim, quando for escolher um curso de pós-graduação visando já iniciar nele uma pesquisa científica, você deve projetar o longo caminho de aprendizado que poderá ter no futuro – incluindo a possibilidade de mestrado e doutorado. Relacione esse caminho com aquilo que você escolher. Para isso, leve em consideração um tema que você realmente se interesse em aprofundar.

 

2 – Pense que nenhum conhecimento é desperdiçado

Se você está procurando uma pós-graduação, é sinal de que já concluiu uma ou mais graduações. Aproveite todo o conhecimento adquirido ao longo da sua jornada acadêmica para tornar o seu currículo mais atraente. Afinal, nenhum conhecimento adquirido é desperdiçado!

Sob essa ótica, encare a sua especialização como um investimento que será agregado à sua bagagem e que trará pontos positivos para o seu futuro. Por isso, se você está cogitando realizar mais de uma especialização, planeje-se para isso. Lembre-se que sempre vale a pena investir no seu crescimento pessoal e profissional.  

Ou seja, nem sempre o caminho de quem quer investir em uma carreira acadêmica passa por fazer um mestrado ou um doutorado. Mas, caso o seu objetivo seja seguir com a vida acadêmica através de uma pesquisa científica, não esqueça de redigir artigos para submissão em eventos, revistas e periódicos sempre que possível. Todo o conhecimento que você gerar no período da pós deverá ser compartilhado e, com isso, seu currículo ganhará pontos e poderá ficar mais em evidência.

 

3 – Modalidade de ensino e rotina de estudos

Talvez esse seja um dos pontos mais importantes a se considerar na hora de decidir por uma pós-graduação. É comum que, além de se especializar, muitos estudantes precisem conciliar horário de trabalho e outras atividades. Portanto, uma dica valiosa é: escolha um curso que permita certa flexibilidade para que sua rotina não se torne cansativa demais.

Nesse sentido, vale avaliar os cursos de pós-graduação EaD (Ensino a Distância) e presenciais disponíveis na sua área de interesse. Muitas opções presenciais costumam ter horários mais flexíveis, como aulas nas sextas à noite e sábados, por exemplo. Sendo assim, escolha uma opção de pós-graduação, incluindo especializações, que esteja de acordo com a sua rotina e com a possibilidade de iniciar uma pesquisa científica.

Vale lembrar que os diversos tipos de pós-graduação – EaD ou presencial –, incluindo especializações e MBA, oferecem ao estudante o mesmo grau de formação e o mesmo diploma de conclusão. Inclusive, não há diferenciação entre diplomas de quem se formou em cursos presenciais ou a distância.

 

Confira quais são os principais tipos de pesquisa científica

 

Existem diversos tipos de pesquisa científica e, provavelmente, você já deve ter utilizado um (ou mais) sem se dar conta. Para desenvolver um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), por exemplo, é necessário que você defina uma estrutura para desenvolver e estudar o assunto que seu trabalho abordará. Esse é um tipo de pesquisa científica.

 

Entre os tipos mais comuns de pesquisa científica, podemos citar os seguintes:

 

– Pesquisa bibliográfica

Como o próprio nome sugere, a pesquisa bibliográfica usa como base a bibliografia existente, ou seja, livros, artigos e outras produções para o seu desenvolvimento.

 

– Pesquisa de campo

São pesquisas que dependem de testes ou observações realizadas em um local específico que, nesse caso, é chamado de campo.

Por exemplo: um trabalho sobre aprendizagem escolar no ensino fundamental poderá depender de visitas a escolas para coleta de dados. Assim, as escolas serão os locais (campos) que serão visitados para a coleta dos dados necessários para que a pesquisa seja desenvolvida.

 

– Pesquisa quantitativa e qualitativa

Enquanto o formato quantitativo se refere a números reais e objetivos, a pesquisa qualitativa pode estar relacionada a emoções e percepções e, por isso, caracteriza-se por ser mais subjetiva.

Seguindo o exemplo anterior, digamos que na sua pesquisa de campo nas escolas você constate que 10 a cada 30 alunos têm boas notas em Matemática (quantitativa), ao mesmo tempo em que registre que 5 a cada 15 alunos gostam de Educação Física (qualitativa).  

 

– Pesquisa documental

Esse modelo de pesquisa utiliza fontes primárias para o seu desenvolvimento. Alguns exemplos de fontes primárias são gravações, entrevistas e fotografias realizadas pelo próprio autor da pesquisa.

Portanto, assim como já usado para o desenvolvido do TCC, uma – ou mais – modalidade de pesquisa científica será também utilizada para a conclusão da sua pós-graduação.

 

Pontuação em processos seletivos

 

Por fim, vale lembrar que alguns processos seletivos para mestrado, bolsas no exterior e outros concursos consideram pontuações por número de pós-graduações e outras certificações. Nesses casos, quantos mais cursos concluídos, maior será a sua nota final.

Isso vale também para as publicações envolvendo os trabalhos científicos que você poderá desenvolver durante a sua pós-graduação. Por isso, é válido investir em pesquisa científica já nessa fase de sua trajetória.

 

E aí, decidiu qual será o seu próximo passo? Escolha hoje mesmo a pós-graduação que mais se encaixa nos seus objetivos e comece a desenhar o seu futuro!

 

Deixe um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *