O que você vai aprender em uma especialização em Enfermagem do Trabalho

A área da saúde oferece um leque de opções geralmente muito bem remuneradas de trabalho para os profissionais formados em suas diferentes especialidades. A Enfermagem é uma dessas áreas cheia de oportunidades. O mercado de trabalho para o profissional de Enfermagem está em expansão, com os profissionais ampliando cada vez mais suas áreas de atuação.

Segundo dados do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), existem 521 mil enfermeiros formados em cursos de graduação no Brasil. Se o seu objetivo é crescimento profissional e melhores salários, o caminho ideal para vencer a concorrência é buscar uma especialização. Entre as opções disponíveis, vale destacar a Enfermagem do Trabalho. Esse aperfeiçoamento oferece um grande campo de atuação porque qualifica o profissional formado em Enfermagem a trabalhar em empresas para cuidar dos seus colaboradores.

 

A história da especialização em Enfermagem do Trabalho no País

 

A história da Enfermagem do Trabalho no Brasil é relativamente recente. Segundo dados do Portal Educação, em 1959 aconteceu uma Conferência Internacional do Trabalho  e, nesta, houve a recomendação da Organização Internacional do Trabalho (OIT) para que fosse oferecida a Medicina do Trabalho. Contudo, inicialmente essa área foi limitada à ação de médicos.

Em 1963, o ensino de Medicina do Trabalho foi incluído nos cursos médicos. No ano seguinte, em 1964, os cursos de Enfermagem também passaram a oferecer uma disciplina intitulada Saúde Ocupacional. No entanto, demorou mais um período para que o Ministério do Trabalho incluísse o auxiliar de enfermagem na equipe de saúde das empresas. Apenas em 1972 a Portaria n.º 3.237 oficializou o cargo.

Inicialmente, a assistência de Enfermagem do Trabalho era vista mais como atendimento emergencial na empresa, o que não a valorizava muito a profissão. Contudo, o espaço para o desempenho profissional, principalmente do enfermeiro especializado na área de Enfermagem do Trabalho, está se ampliando gradativamente, segundo o portal Guia da Carreira.

Hoje, os enfermeiros especializados nessa área podem trabalhar na assistência direta aos trabalhadores e seus familiares ou no desempenho de funções administrativas, educacionais, de integração ou de pesquisa.

 

Mas, afinal, o que faz um profissional especializado em Enfermagem do Trabalho?

 

Enfermagem do Trabalho, como o nome já indica, é o ramo da Enfermagem voltado ao cuidado da saúde dos trabalhadores. Isso inclui a atuação que leva em conta diversos fatores, como o ambiente laboral, o tipo de atividade realizada na empresa e os riscos que ela pode representar à integridade física e mental do trabalhador.

O objetivo do enfermeiro do trabalho é preservar e manter o bem-estar dos empregados de uma organização, bem como de seus familiares dependentes. Entre suas principais funções, segundo o portal Guia da Carreira, podemos destacar:

– Avaliar e acompanhar quadros de enfermidade;

– Prestar os primeiros socorros aos trabalhadores;

– Encaminhar o trabalhador para o tratamento adequado;

– Reabilitar para o trabalho;

– Prescrever ações e cuidados com a saúde.

 

Apesar de esse trabalho ser importante para um restabelecimento mais rápido da saúde do funcionário, a atuação dos profissionais de Enfermagem do Trabalho pode ir além. O objetivo desse profissional, assim, deve ser o de agir de forma preventiva, e não apenas estar disponível para o atendimentos de doenças.

A equipe de Enfermagem do Trabalho pode se dedicar também a planejar e efetivar ações de precaução para proteger os funcionários de riscos inerentes à atividade exercida, além de estabelecer medidas que visem, de uma forma ampla, à proteção dos trabalhadores da empresa.

Como administrador, cabe ao enfermeiro do trabalho organizar o ambulatório e todo o setor de enfermagem da empresa, sempre atento ao controle de pessoal e de material para que nada falte à prestação de um bom serviço.

Segundo o site de empregos Catho, a média salarial nacional para um enfermeiro do trabalho é de R$ 3.207. O valor muda conforme o tempo de experiência, a qualificação do profissional, o porte da empresa contratante e a região do País.

A pesquisa salarial do Site Nacional de Empregos (Sine) mostra valores de acordo com a senioridade do enfermeiro e o tamanho da empresa. No Sine, vemos que um iniciante na carreira de Enfermagem do Trabalho, contratado por uma empresa de pequeno porte, ganha até R$ 2.100. Já um enfermeiro do trabalho com mais de oito anos de experiência, trabalhando para uma grande empresa, recebe um salário de cerca de R$ 7.000.

 

Como trabalhar na área de Enfermagem do Trabalho?

 

Para seguir na área de Enfermagem do Trabalho é indispensável a graduação em Enfermagem e, após a conclusão do curso, ingressar em uma pós-graduação na área. Se você já concluiu a faculdade e está trabalhando na área, com pouco tempo disponível para encaixar uma pós-graduação presencial no seu currículo, fique tranquilo. Afinal, há opções de especialização em Enfermagem do Trabalho na modalidade de ensino a distância (EaD).

Além da vantagem de ser EaD, o curso garante uma formação rápida. Nas faculdades Estácio de Sá e Unyleya, por exemplo, essa pós-graduação tem duração entre 10 meses e um ano. Por ser na modalidade a distância, o valor do curso não pesa no bolso, ficando, em média, entre R$ 230 e R$ 300 a mensalidade.

 

Segundo as instituições citadas, os objetivos da especialização em Enfermagem do Trabalho são os seguintes:

– Capacitar profissionais graduados em Enfermagem a atuar em comissões de saúde e/ou segurança laboral em organizações públicas e privadas;

– Capacitar profissionais para atuação como consultores em Enfermagem do Trabalho;

– Discutir questões atuais envolvendo a Enfermagem do Trabalho e suas relações com o meio ambiente.

 

Além disso, a especialização em Enfermagem do Trabalho habilita o aluno a implementar diretrizes estabelecidas na Política Nacional de Saúde do Trabalhador com vistas à administração de serviços específicos voltados à atenção à saúde do trabalhador, ao gerenciamento de problemas gerados no ambiente de trabalho e ao desenvolvimento de ações preventivas.

O mercado de trabalho é promissor para esse segmento, sendo possível atuar em instituições públicas e privadas, desempenhando atividades preventivas, educativas e curativas em equipe multiprofissional e valorizando a atenção de qualidade ao trabalhador de forma técnica e científica.

 

Deixe um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *